domingo, 30 de janeiro de 2011

Sou eu assim sem você


Vovó Nilza, Helena e Guilherme.
Oi amigos,

Continuando a maratona de coisas para resolver, essa semana algumas coisas começaram a tomar uma certa forma. Alguns móveis já foram montados lá no apartamento, o meu quarto já está praticamente pronto e o da Helena já começa a tomar forma, do jeito que eu imagino que a Luciana gostaria. Um imprevisto foi que apareceu uma infiltração no quarto do Pedro e que agora teremos que resolver. À medida que algumas coisas ficarem prontas, eu vou tirar algumas fotos e mostrar para vocês!

Em relação ao aniversário da Helena, hoje foi a sessão de fotos para a festa! Aproveitamos o lindo dia que fez e tiramos as fotos na casa da Tia Márcia e embaixo do bloco dela. Para isso, contamos não só com a ajuda e a paciência dos fotógrafos, que são pessoas mais do que queridas, como também da presença de toda a família lá. A única ausência foi dos bisos, que estavam muito cansados na hora. Todo mundo curtiu muito ficar com a Helena e as fotos saíram lindas! Claro que volta e meia a gente tinha que fazer mil e um malabarismos para que ela desse alguns sorrisos, porque chegou uma hora que ela já estava bem cansada. Mas, como uma lady que ela é, agüentou bem bonitinha até o fim, sem chorar e sem reclamar! O Pedro também deu o ar da graça vestido de homem aranha, pronto para salvar todo mundo que estava lá. Não vou contar muito para não estragar algumas surpresas mas, não sei se já comentei, o tema da festa será de jardim e algumas fotos hoje foram combinando com o tema!

Essa semana o Pedro voltará às aulas e amanhã será a reunião com os professores. Tem horas que eu acho que eu deveria já estar acostumado a fazer essas coisas sozinho, mas não tem como negar a falta que faz ter a Luciana nesses momentos. Não só pelo fato de saber que ela faria as perguntas certas e que já estaria com tudo organizado para as aulas do Pedro, mas por imaginar também o quanto seria gostoso curtir cada momento desses com ela, de vê-la toda feliz sabendo que o nosso filho estaria começando uma nova etapa e que, em dias como hoje, de sessão de fotos da Helena, ela estaria toda “serelepe”, entrosando todo mundo e deixando o ambiente mais leve, como só ela sabia fazer. Tem horas que eu sinto muito a presença dela. Não chega a ser de uma maneira sobrenatural, mas é como se ainda estivéssemos em sintonia. Quando eu morava em Campinas e ela em Brasília, eu falava que para onde quer que eu fosse, eu carregava ela comigo, dentro de mim, no meu coração. Às vezes eu até dialogava, como se estivesse conversando com ela! Guardadas as devidas proporções, parece que é mais ou menos assim que eu me sinto hoje. Hoje mesmo, durante as fotos, volta e meia eu me pegava pensando em algumas coisas que eu acho que ela faria ali ou que ela gostaria que eu fizesse.

Engraçado, mas volta e meia aparece uma música que assim que escuto penso : “Essa eu tenho que colocar no blog!” A que vou colocar aqui era uma daquelas que quando a gente ouvia a gente já começava a cantar juntos no carro. O momento mais marcante dessa música foi no meu aniversário de 30 anos, quando a Luciana fez uma surpresa para mim. Ela chamou várias pessoas, entre familiares e amigos e fez um vídeo para mim, com vários depoimentos. Ela fez uma superprodução, contratou uma firma especializada e tudo mais. Foi tudo tão lindo...que só de lembrar eu me emociono. Dois momentos foram muito marcantes. Um foram os vídeos das ecografias do Pedro e o outro foi a declaração que ela fez para mim. Ela estava tão envergonhada, mas só de ver aquela carinha linda rindo e dizendo que me amava, era suficiente para saber que eu havia tirado a sorte grande.

Bem, a música é uma do Claudinho e Buchecha, mas que foi regravada pela Adriana Calcanhoto

Adriana Calcanhotto - Fico Assim Sem Você
http://www.youtube.com/watch?v=BwF9G3-XhBc&feature=related

Avião sem asa, fogueira sem brasa
Sou eu assim sem
você
Futebol sem bola,
Piu-Piu sem Frajola
Sou eu
assim sem você
Por que é que tem que ser assim
Se o meu desejo não tem
fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
vão poder falar
por mim
Amor sem beijinho
Buchecha sem Claudinho
Sou eu assim sem
você
Circo sem palhaço
Namoro sem amasso
Sou eu assim sem você

louca pra te ver chegar
Tô louca pra te ter nas mãos
Deitar no teu
abraço
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração
Eu não existo longe de
você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas
Pra poder te
ver
Mas o relógio tá de mal comigo
Por quê? Por quê?
Neném sem
chupeta
Romeu sem Julieta
Sou eu assim sem você
Carro sem
estrada
Queijo sem goiabada
Sou eu assim sem você
Por que é
que tem que ser assim
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo
instante
Nem mil alto-falantes
vão poder falar por mim
Eu não existo
longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder
te ver
Mas o relógio tá de mal comigo


Amigos, que vocês tenham uma ótima semana. Que o nosso bom Deus possa iluminar e abençoar a vida de cada um de vocês!

Um grande abraço!

Woltony, Luciana, Pedro e Helena

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Como o tempo passa rápido...

Pedro pelado pulando na cama!


Helena e Vovó Marcia no dia do ano novo!
Oi amigos,

No ultimo post eu coloquei duas coisas que simbolizam dois momentos muito bons e que de uma forma muito bonita se relacionam. Uma foi a foto com a Luciana na época que ainda éramos noivos e a outra foi o vídeo do Pedro fazendo o seu famoso “trato”. Eu lembro que quando fizemos o nosso noivado, mencionamos que ali estava o início de um projeto, de uma família que começaria e que produziria frutos. Pois bem...sem querer eu coloquei a foto de antes de casarmos e de um dos frutos do nosso casamento, o nosso querido filho Pedro.
Semana que vem começam as aulas do Pedro e agora estou vendo os últimos detalhes de material e uniforme. É animador ver essas coisas, imaginar que uma nova etapa também começará para ele também. Por enquanto ele ainda continua só na preguiça...nem dá mostras de estar com tanta saudade assim da escola..rsrs. Esses dias ele fez de novo o comercial dele na pizzaria. Como quem não quer nada, ele se aproxima de uma mesa de mulheres (detalhe: é sempre só de mulheres) e começa a puxar papo. Aí ele pergunta o nome das moças, a idade delas (ainda tenho que explicar que isso não se pergunta!) e por ai vai. Quando perguntaram se ele estudava, ele falou que estava de férias. “Você sabe o que é férias?”, ele perguntou. “É quando a gente não precisa ir para a escola!”. Imagina se elas não quiseram apertar ele depois!

A Helena é outra que também está altamente “apertável”. Acho tão bonitinho quando ela se joga para os meus braços, querendo brincar e andar pela casa. Ela é super observadora e com um olhar penetrante parecer desvendar o mundo, aprendendo e assimilando tudo. E agora deu para ser assediada quando passeia debaixo do bloco! Esses dias ela estava com a Luana e parece que um menino, bem mais velho que ela (quase dois anos!rsrs), chegou perto e ficou passando a mãozinha nela. Vê se pode?? Isso me faz lembrar quando eu começava a mexer com a Luciana das meninas que iriam paquerar o Pedro. Ela só virava e falava : “Não esqueça que tem a Helena, viu?”.

Essa semana tenho pensando em algumas coisas, em como estou agora e em tudo o que aconteceu depois que a Luciana faleceu. Ontem fez 11 meses que a Helena nasceu e amanhã fará 7 meses que a Luciana partiu. Muita coisa aconteceu de lá para cá. As crianças tem se desenvolvido cada dia mais e estamos prestes a se mudar para um apartamento novo. Eu voltei a trabalhar e agora estou prestes a mudar de emprego. A Quica (babá do Pedro) está saindo e acabei de fechar com uma nova babá. Estou vendo a festa de aniversário de um ano da Helena e de 3 anos do Pedro. Voltei a fazer academia (pelo menos estou matriculado..rsrs) e essa semana devo finalizar alguns exames médicos. Olhando assim tenho até a impressão que as coisas estão andando...e talvez elas estejam mesmo. Mas quando olho para o meu coração, parece que as coisas não vão no mesmo ritmo. Dizem que o coração tem o tempo dele...e que esse tempo não é parecido com o nosso. Tempo das feridas cicatrizarem ou mesmo de aprendermos a andar com as feridas cicatrizando. Eu procuro ler muito sobre o luto e também converso com a minha psicóloga sobre como as pessoas que sofrem perda geralmente vivem. A impressão que me dá é que não me enquadro em nenhum desses casos, que não me pareço com os outros, que estou sempre em algum meio termo. Eu ainda me sinto sim muito ligado à Luciana, mas sei que ela se foi...sei que por algum motivo Deus tinha algum propósito reservado para ela em algum outro lugar. O tempo dela chegou. Tem um trecho do Fernão Capelo Gaivota (eu não li o livro, só vi o filme) que o personagem principal pergunta : “Como vou saber se completei a minha missão?”. A resposta é : “Se você respira, é porque ela ainda não terminou”. A missão da Luciana terminou mas sei que Deus ainda tem alguma (ou várias..sei lá) coisa para mim aqui. Por algum motivo ela foi e eu fiquei. Ainda me resta buscar um sentido para a minha vida...uma forma de cuidar bem das crianças, de ser um bom exemplo e de glorificar a Deus na minha vida e nas coisas que eu faço. Como fazer isso é ainda um desafio e o que talvez me anime é ver toda a história que construímos e imaginar o que ainda pode ser feito.

Amigos, que vocês tenham um ótimo dia e uma ótima semana. Que o nosso bom Deus abençoe sempre todos os seus caminhos.

Um grande abraço,

Woltony, Luciana, Pedro e Helena

sábado, 22 de janeiro de 2011

A vida sem ela.

Foto feita durante o ensaio de noivos para o nosso casamento



Oi amigos,



Como estão todos? Espero que tenham tido uma ótima semana e que esse fim de semana esteja sendo de muita paz e tranqüilidade. Por aqui a semana foi muito boa, com um pouco da correria de sempre.


Essa semana eu me dediquei a fazer os exames para o concurso e também resolver algumas coisas da reforma do apartamento. O que está faltando agora para o apartamento ficar pronto são alguns móveis, que o marceneiro deve entregar até o fim dessa semana. À medida que cada detalhe vai ficando pronto, a casa começa a tomar forma e eu já imagino quando estivermos todos lá, com as crianças correndo pela casa ou chegando da escola. Às vezes paro para pensar em cada fase que eles ainda terão que passar, em cada desafio que ainda surgirá na vida deles que até me emociono. Eu me emociono e também fico com um grande frio na barriga, pois sei que criar filhos é uma grande honra, mas também um grande desafio e fazer isso sem a Luciana é algo que me assusta. Ela sempre foi um modelo para mim em várias coisas e sei que as crianças teriam uma ótima referência como mãe, como mulher e como cristã.



As crianças estão muito fofas, só para variar..rsrsrs. Sei que sou um pouco suspeito para falar delas, mas é que a cada dia que passa elas nos surpreendem. A Helena está muito espertinha! Vocês precisam ver como ela gosta de brincar no chão e como reclama quando a gente a tira e coloca no braço! Ela fica tão brava que chega a ser bonitinho. Ela está comendo muito bem, batendo palmas e está sempre atenta a tudo. É emocionante ver os olhinhos dela a desvendar o mundo, processando cada informação nova. O Pedro está cada dia mais conversador e inteligente. Tem sempre uma resposta para tudo. Agora deu para querer “negociar” com a gente, propondo sempre fazer um trato. Eu até gravei um vídeo com uma das propostas dele. Ele queria primeiro deitar na minha cama para depois ir para o berço. Eu pedi para ele repetir um pouco durante o vídeo para ver se a gravação ficava boa. Segue aqui o link para vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Fu0jhOy90P8



Essa semana foi repleta de pensamentos e de recordações. Não que tivesse acontecido alguma coisa de diferente. Como falei anteriormente, eu me dediquei a fazer todos os exames médicos do concurso, a resolver algumas coisas da reforma e também a pegar orçamento com alguns fotógrafos para o aniversário da Helena. Um deles inclusive foi quem fez as fotos do ensaio do nosso casamento. A Luciana o adorava e confiava bastante no seu trabalho. Ele ficou sabendo do falecimento da Luciana através de uma amiga em comum e me disse que havia ficado muito triste. Lembrou de quando ele foi à fazenda fazer o ensaio fotográfico e da alegria contagiante da Luciana, além do seu sorriso e do seu jeito encantador. As fotos estão no site que fizemos do casamento (www.lucianawoltony.com.br-> fotos -> Foto Ensaio)



Fazer cada coisa dessas me fez pensar muito na Luciana e da vida agora sem ela. Eu lembrei quando eu a acompanhei em todos os exames que ela fez quando foi nomeada no Ministério Público. Lembrei quando ela decorou o nosso primeiro apartamento e quando estivemos nesse fotógrafo, escolhendo o as fotos e montando o pôster do casamento. Fazer tudo isso agora sem ela dói muito. Viver sem ela dói muito. Mas sei que é preciso seguir em frente, fazendo tudo do melhor jeito possível. Talvez essa seja uma das coisas que caibam a nós, os que ficamos. Apesar de me sentir só, sei que existem pessoas comigo na minha solidão. Pessoas que se preocupam comigo e que tornam alguns momentos menos doloridos. Sei também que Deus continua sempre ao meu lado. Ele me dá a porção diária de amor, de força e de fé para continuar. Ainda continuo naquele pensamento que Ele não permitiria que tudo isso acontecesse a nós se Ele mesmo não estivesse cuidando dos nossos corações. E sinto que apesar de não entender porque tudo isso aconteceu, Ele ainda está comigo...e sempre estará.


Esses dias eu tenho escutado uma música bem antiga, mas que me faz lembrar muito do meu grande amor. Incrível como algumas coisas persistem...o amor...o encantamento...a paixão...a saudade. Eu encaminho o link para a música e para a tradução:



When I Fall In Love
http://letras.terra.com.br/nat-king-cole/67499/traducao.html
http://www.youtube.com/watch?v=vhJKgdzAJ9o
Nat King Cole


When I fall in love
It will be forever
Or I'll never fall in love
In a
restless world like this is
Love is ended before it's begun
And too many
moon light kisses
Seem to cool in the warmth of the sun

When I
give my heart
It will be completely
Or I'll never give my heart
And the
moment
I can feel that
You feel that way too
Is when I fall in love
with you

And the moment
I can feel that
You feel that way
too
Is when I fall in love with you


Amigos, antes de me despedir gostaria de deixar um versículo para vocês. Pensar em passagens como esse versículo me faz (re)pensar na morte e na forma como Deus talvez veja a morte. Afinal, Ele não poupou o próprio filho de todo o sofrimento...não poupou o próprio filho da morte. A passagem está no livro de João, capítulo 10, versículo 11:


Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas.


Um grande abraço meus queridos amigos. Fiquem com Deus

Woltony, Luciana, Pedro e Helena

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Se não tiver amor, nada serei...

Eu precisava colocar essa foto hoje! Ontem fiquei horas admirando a beleza da Luciana nessa foto!


Oi amigos,

O ano de 2011 começou de uma forma muito especial. Claro que existiam muitas expectativas e um desejo enorme que 2010 fosse embora, dando a oportunidade para um novo ciclo começar. No meu caso, houve a nomeação para um concurso que eu havia feito há três anos atrás, nomeação essa que veio em uma boa hora, principalmente agora que estou numa fase de valorizar mais o meu tempo com as crianças do que o meu lado profissional. E por falar em notícias boas, eu hoje fiquei muito feliz com a novidade que a minha querida irmã está grávida! Pois é, a família vai aumentar, o Guilherme vai ganhar um irmãozinho (a) e o Pedro e a Helena um novo primo(a). Hoje foi uma alegria só ao recebermos a notícias que um novo anjinho está a caminho! Foi bonitinho também a forma que a Michelle me contou. Quando ela estava grávida do Guilherme, eu fui a primeira pessoa para quem ela contou. Hoje, ela falou que queria contar também primeiro para mim, o que eu achei muito carinhoso!

Esses dias tenho ensaiado um tema para colocar no blog, mas confesso que em alguns momentos relutei em escrever sobre isso, por achar uma tema tão especial que fico com medo de não escrever algo a altura. A idéia surgiu de uma pergunta que eu vi em um blog sobre algo que não poderia faltar em 2011, algo imprescindível para o novo ano (o blog é o http://diariodos3mosqueteiros.blogspot.com/ - Muito lindo o blog). Fiquei com aquela pergunta e pensei que um dia eu gostaria de escrever sobre algo que acho fantástico e que vejo que anda em falta por aí ...queria muito escrever sobre o amor!

Para mim é uma baita peso escrever sobre o amor, porque existem tantos textos fantásticos que falam sobre o amor, sobre os seus significados, a sua etimologia e a sua importância. Não tenho a pretensão de falar nada melhor do que o que já foi dito. O que eu hoje pensei em escrever, até mesmo motivado pela pergunta do blog, foi que olhando toda a nossa história, todos os fatos que aconteceram desde que eu e a Luciana nos conhecemos até o dia em que ela partiu, passando obviamente por toda a luta pela vida da Helena e pela cura da Luciana, foi que existiu muito amor...em todos os momentos!

Sem querer aprofundar, dizem que os tipos mais comuns de significados de amor são o Amor Eros, o Amor Philos e Amor Ágape. O primeiro seria o amor mais romântico, sem necessariamente ter uma conotação sexual. O amor philos teria mais a ver com amizade, enquanto o amor Ágape seria uma expressão maior de amor, um amor muito bem explicado ilustrado pela passagem de 1 Coríntios 13: 4-7

O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se
ensoberbece,
não se conduz inconvenientemente, não procura os seus
interesses, não se exaspera, não se ressente do mal;
não se alegra com a
injustiça, mas regozija-se com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera,
tudo suporta.

Um amor que não tem a ver só com sentimentos, mas também com atitudes. Atitudes nem sempre fáceis, escolhas nem sempre lógicas de serem feitas. Como uma vez falei, por amor nós muitas vezes remamos contra a maré, simplesmente por seguir os nosso corações. Por amor, fizemos inúmeras coisas, resistimos a várias pressões. Por amor, a Luciana escolheu levar adiante a gravidez da Helena. Por amor, o nosso casamento alcançou um nível tal de intimidade que as palavras não precisavam ser ditas, onde os nossos corações simplesmente conversavam, numa linguagem que não podia ser compreendida, mas apenas sentida. Aliás, o amor nem sempre é lógico. O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Talvez por isso o mundo não entenda sempre o amor...

Ainda falando um pouquinho sobre o amor, sinto no meu íntimo que eu não tenho como continuar a vida sem ter esse amor no meu coração. E não tenho como ter esse amor se Deus não estiver comigo, sem ter esse relacionamento íntimo com Ele. Sei que não será uma caminhada fácil, mas como já diria Paulo no livro de Coríntios

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior
destes é o amor.

Amigos, como eu havia falado, não tinha nenhuma pretensão de escrever um estudo sobre o amor. Mas essa vontade surgiu dessa idéia sobre o que deveríamos ter para esse novo ano. Sinceramente acho que falta amor no mundo...em todas as esferas de relacionamentos (marido e mulher, pais e filhos, escolas, amigos....). O que me anima é saber que o amor de Deus é perfeito...e Ele nos ama, apesar de tudo!

Um grande abraço e fiquem com Deus!

Woltony, Luciana, Pedro e Helena

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Parabéns meu querido sogro!


Momento mais do que emociante!

Oi amigos,


O post de hoje é muito especial e eu sinto até mesmo uma responsabilidade em escrevê-lo. Hoje escrevo para dar os parabéns para alguém muito importante...o meu querido sogro Mateus!



Uma coisa interessante foi que na hora que eu pensei em escrever falando do aniversário dele, quase que instantaneamente a imagem da Luciana veio à minha cabeça. Eu logo a imaginei sentadinha, digitando super rápido sobre como ela gostava do Mateus.



Apesar de todo mundo falar que a Luciana e a Tia Márcia eram extremamente parecidas, quem os conhecia de perto sabia que o filho que era mais parecido com o Mateus era a Luciana. E ela sabia disso. Além de vários traços no rosto e da constituição física, os dois eram muito parecidos em outras coisas, inclusive nos valores e na forma de ver a vida, nas coisas que realmente valem a pena.



Ela sempre admirou muito o Mateus, o jeito que ele sempre defendeu a família e todo o esforço dele para chegar onde ele chegou. Eu me recordo das inúmeras vezes do orgulho que ela tinha em comentar o quão bom vendedor ele era, dos ensinamentos profissionais que ele dava e em todas as conquistas que ele já havia alcançado.



Por falar em conquistas, uma das mais emocionantes foi quando a Luciana entregou a carteira da OAB para o Mateus. Foi mais ou menos assim. O Mateus trabalhou a vida toda na área de vendas de uma empresa de equipamentos médicos. Ao se aposentar, ele decidiu estudar Direito. Quando ele passou da OAB, quem entregou a carteira da ordem para ele foi a Luciana! Foi emocionante ver os dois juntos lá no auditório, ainda mais quando anunciaram que a própria filha que entregaria a carteira para o pai. Nossa, é emocionante só de lembrar.



Eu não posso dizer que a nossa relação tenha começado às mil maravilhas. Talvez o início tenha sido um pouco mais tenso...mas nunca o culpei! Sempre pensei que ele tinha todo o direito de ter ciúmes da Luciana, afinal como não ter ciúme de uma filha tão especial e linda?! Aos poucos o nosso relacionamento foi melhorando até chegar o ponto dele um dia falar que eu sou como um filho para ele. E esse é o jeito que nos tratamos ainda hoje! E eu fico muito feliz em ver que hoje nos tratamos assim, de nos gostarmos dessa forma, porque sinto que isso é um ótimo exemplo para as crianças, além de saber que a Luciana sempre ficava feliz em ver o quanto o Mateus gostava e gosta de mim.



Bem, como eu falei, a Luciana sempre amou muito o Mateus e sinto com muita tranqüilidade, no meu coração, que onde quer que ela estiver, o mesmo amor, o mesmo carinho e a mesma atenção estarão presentes naquele lindo coração. Parabéns pelo seu aniversário Mateus!



Um grande abraço meus amigos...fiquem com Deus!



Woltony, Luciana, Pedro e Helena

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Papai, eu te protejo da tempestade!

Oi amigos,

Eu não poderia começar o post de hoje sem contar uma pequena coincidência que acabou de acontecer. Eu estava começando a escrever o post quando me deu uma vontade de ler o que havia sido escrito há um ano. Eu já tinha mais ou menos a idéia de como seria a postagem de hoje, o que eu iria falar e um versículo que está na minha cabeça esses dias. Mesmo assim, resolvi ler o post do dia 10 de janeiro de 2010 e o mesmo narra o início do tratamento de radioterapia da Luciana. Ler as palavras dela foi reviver aqueles dias, aquelas consultas onde realmente ela se sentia como um touro indo para o abatedouro. Foi reviver todas as incertezas e esperanças de mais um início de tratamento, da saudade do Pedro que sentíamos e que ela tão bem retratou. A coincidência a que me refiro se deve à escolha do versículo. Naquele dia, ela escreveu o mesmo versículo que eu iria colocar hoje! Engraçado né? O versículo está no livro de Mateus, no capítulo 6

Mt 6:21

porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.

Ela adorava esse versículo! Eu lembro bem que assim que ela conheceu esse versículo, volta e meia ela se confundia e me perguntava: “Amor, é onde esta o seu coração aí estará o seu tesouro ou é onde está o tesouro aí estará o seu coração?”. Era bem claro que ela gostava tanto desse versículo porque ela identificava que realmente o seu coração e os seus tesouros estavam no mesmo lugar.

Falando um pouco sobre esses tesouros, a Helena e o Pedro estão ótimos! A Helena foi ao pediatra na semana passada e o desenvolvimento dela está excelente. Ela cresceu acima da média e o único ponto que ficou um pouco fora da curva foi o peso. A gente brinca que ela é modelo desde cedo! Ficamos contentes porque ela está se desenvolvendo super bem, totalmente compatível com a idade dela. Esses dias tenho ficado impressionado em como ela está espertinha. Até birra agora ela está dando! Vê se pode? Experimenta não fazer algo que ela não quer para você ver...ela fica brava e até mesmo chora! Pode um negócio desses?

O Pedro também está cada dia mais esperto. Fico às vezes impressionado com o tanto que ele está falante...falante e questionador! Se deixar ele dá sempre uma sugestão sobre o que a gente tem que fazer, sobre o que devemos comer ou vestir. É muito bonitinho! Uma outra coisa que tem chamado a minha atenção é que nos últimos dias ele tem falado muito sobre a Luciana. Volta e meia acontece algo e ele fala: “Papai, isso é muito engraçado..vamos contar para a mamãe?”, ou então ele fala que quer ir para a “aquela casa”, a “casa do papai e da mamãe”. Nessas horas ele está se referindo ao apartamento onde morávamos, onde ele nasceu e onde ele tinha o quartinho dele, com todos os brinquedos que ele gostava. Uma outra coisa é que volta e meia ele fala ele se refere à Luciana, perguntando onde ela está ou mesmo afirmando que ela está com o Papai do Céu. Dá um aperto no coração ver ele falando isso, com aqueles olhinhos inocentes e lindos, olhinhos que a Luciana sempre amou. Enfim, eu vou pedindo a Deus que dê a sabedoria para lidar com cada situação e a paz no coração, no dele e no meu, para que os dias sejam sempre leves, na medida do possível.

Uma outra coisa do Pedro, que é justamente o que deu o título desse post, foi que esses dias eu cheguei em casa todo molhado, pois havia pegado chuva. Ele me recepcionou com o carinho de sempre e quando eu falei que estava molhado, ele falou para mim: “Papai, você tinha que ter me chamado que eu pegava o meu guarda-chuva!”. Como eu ia dar um banho nele, resolvi fazer algo diferente e falei que ele podia levar o guarda-chuva para dentro do chuveiro. Imagina se ele não adorou! Ele ficava todo compenetrado debaixo do chuveiro e eu observando tudo, agachado perto dele. Nisso, ele olhou para mim, passou o seu bracinho no meu pescoço, me trouxe para perto dele e falou: “Papai, eu te protejo da tempestade!”. Olha, eu tive que me segurar para não chorar perto dele....

Falando um pouco sobre mim, nesses últimos dias tenho andado um pouco pensativo sobre a minha relação com as pessoas. Logo no início desse processo do luto, haviam me dito que apareceriam várias pessoas querendo ajudar mas que isso diminuiria ao longo do tempo, pois a vida voltaria ao normal para elas, apesar do luto continuar para mim. Isso de fato aconteceu e continua acontecendo. Sei lá, é tudo muito estranho...talvez realmente não seja agradável para a maioria das pessoas falar sobre o luto ou mesmo elas não saibam como abordar um viúvo ou uma viúva.

Por fim, gostaria de compartilhar uma coisa que aconteceu comigo. Hoje, no dia onde faríamos 5 anos e 4 meses de casado, eu fui chamado em um concurso aqui em Brasília. Na época que saiu o resultado todo mundo falava que eu tinha chance de ser chamado, pois mesmo passando fora das vagas a minha posição não estava ruim. Hoje um grande amigo meu me ligou dizendo que o meu nome havido sido publicado no Diário Oficial. Eu já peguei a lista de documentos necessários e vou começar a providenciar tudo o que for preciso. Apesar disso ser uma ótima notícia, eu senti muita falta de poder compartilhar com a Luciana, e isso fez toda a diferença sobre a minha “animação”. Parece que uma das graças das coisas que dava graça era justamente poder compartilhar com ela! Ligar e escutar a voz dela, sempre tão empolgada, querendo comemorar e logo contar para todo mundo. A Luciana sempre foi a pessoa que mais torceu por mim, que sempre quis que eu crescesse e me destacasse. Ela era sempre a minha maior incentivadora. Encarar agora esses desafios não tem a mesma graça. Aliás, fazer isso agora sem ela é um desafio...

Amigos, eu vou ficando por aqui. Que Deus esteja sempre abençoando e iluminando a vida de cada um de vocês.

Um grande abraço!

Woltony, Luciana, Pedro e Helena

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Primeiro post de 2011!

Oi amigos,


Estou muito feliz por escrever o primeiro post de 2011! Incrível como o simples fato que um novo ano faz a gente pensar em uma nova fase, novos planos e novos desafios. Não que isso apague tudo o que aconteceu no ano passado, mas esse 2011 começa com um certo “friozinho” na barriga, com o medo natural de tudo o que é novo, ainda mais quando penso que terei que passar por muitas coisas sem o meu grande amor.

Ter a Luciana ao meu lado sempre foi uma experiência maravilhosa, em todos os sentidos. Nós tínhamos uma sintonia tão impressionante, que o simples fato de termos um ao outro nos permitia enfrentar qualquer coisa. A segurança de ter a sua alma gêmea ao lado. Lembro que toda vez que ela entrava para fazer algum exame, eu sempre entrava junto. Claro que isso não valia para tomografias e radioterapia (ainda que eu ficasse na sala dos técnicos), mas todos os demais eu ficava junto. Lembro de ficar com ela na sala de ressonância, sentado ao pés dela, apenas colocando a minha mão sobre o seu pezinho. Talvez ela achasse que fosse eu que estivesse passando segurança para ela, mas estar ali, naquela situação, também me fortalecia, uma vez que eu sentia que ali eu estava cumprindo a função que Deus havia me preparado: ser o seu marido, na alegria ou na tristeza...na saúde ou na doença.

Quando comecei falando sobre um friozinho na barriga para esse 2011, foi me referindo principalmente a tudo que penso que poderá acontecer. A mudança para o novo apartamento, o aniversário das crianças (meus Deus...em fevereiro Helena fará 1 ano e Pedro 3 anos), o primeiro aniversário dela sem ela e o meu amadurecimento como pai, como cristão e como viúvo. Isso são apenas algumas coisas...aquelas que a gente vê rapidamente quando joga uma lanterna sobre o calendário e vê o que pode ser importante esse ano. Como isso tudo será construído é uma boa pergunta...e é aí que vem o frio na barriga.

Esse fim de semana assisti a um filme chamado “Minha vida sem mim”. Muito bom o filme, apesar de um pouco triste. Nesse filme, uma moça de apenas 23 descobre que tem uma doença terminal e começa a pensar em tudo o que gostaria de fazer antes de morrer. No desenrolar do filme, ela pensa em tudo o que deixará após morrer (filhos, marido, mãe e pai...). Sem querer contar o filme, ele me fez pensar muito na Luciana, relembrar tudo o que ela me falava, os seus medos, os seus planos e os seus sonhos. Ela era tão incrível que mesmo o medo da morte não a fez abandonar o gosto pela vida! Ontem eu e a Tia Márcia lembrávamos que uma semana antes ela fazia planos de viajar e montar negócios. Lembrei que toda vez que ela se sentia um pouco melhor,ela queria sair, bater perna por São Paulo. Como fiquei com o coração na mão quando a gente foi na Rua Jose Paulino (paraíso para comprar roupa em SP). Ela estava cheia de dores na perna e não tínhamos tratado ainda uma das metástases ósseas. Nem isso foi suficiente para fazê-la para mudar de idéia. Mesmo com o coração na mão, foi lindo vê-la por entre as lojas “pechinchando” e conversando com as vendedoras.

Uma das características marcantes da Luciana foi ser sempre muito preocupada com os outros. Isso era em relação a tudo e a todos. Lembro muito dela dando conselhos sobre parar de fumar, fazer exames de prevenção, procurar ter uma qualidade de vida dentro de casa, cultivar o casamento e o relacionamento com os filhos. Esse tempo que passamos no hospital nos fez ver muita coisa, nos fez refletir sobre como levamos a nossa vida, sobre como muitas vezes não damos importância a coisas simples ou como não olhamos com o cuidado necessário para o nosso corpo. Pensando nisso, pensei em daqui para frente escrever um pouco sobre o que pudemos aprender durante esse período, uma vez que mergulhamos de cabeça em tudo o que dizia respeito a câncer e em todos os aspectos que essa doença afeta. Acho que isso seria algo que ela gostaria que eu fizesse e que vale a pena ser compartilhado.

Antes de me despedir gostaria de deixar um versículo e uma música que escutei ontem no rádio. O versículo é um trecho do livro de Eclesiastes

Eclesiastes 12:1

Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus
dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer

Sobre a música, ela foi a “nossa cara” durante um período muito importante da nossa vida, que foi na nossa época de noivado. Coincidência ou não, era música de uma novela que sempre assistíamos juntos (Caboca). Segue abaixo o link e a letra

Céu De Santo Amaro
Caetano Veloso

http://www.youtube.com/watch?v=Zuhsqx9BvIw

Composição: Flávio Venturini / Arranjo: Johann Sebastian Bach

Olho para o céu
Tantas estrelas dizendo da imensidão
Do universo em nós
A força desse amor
Nos invadiu...
Com ela veio a paz, toda beleza de sentir
Que para sempre uma estrela vai dizer
Simplesmente amo você...
Meu amor..Vou lhe dizer
Quero você
Com a alegria de um pássaro
Em busca de outro verão
Na noite do sertão
Meu coração só quer bater por ti
Eu me coloco em tuas mãos
Para sentir todo o carinho que sonhei
Nós somos rainha e rei
Na noite do sertão
Meu coração só quer bater por ti
Eu me coloco em tuas mãos
Para sentir todo o carinho que sonhei
Nós somos rainha e rei
Olho para o céu
Tantas estrelas dizendo da imensidão
Do universo em nós
A força desse amor nos invadiu...
Então...
Veio a certeza de amar você...


Um grande abraço meus amigos! Que Deus abençoe sempre os caminhos de cada um de vocês! Contem comigo também, em qualquer coisa que eu possa ajudar.


Woltony, Luciana, Pedro e Helena